Videolaparoscopia: o nome é difícil, mas diz respeito a uma cirurgia mais simples que a cirurgia de abrir o abdômen e trouxe mais segurança para os pacientes. Felizmente, a medicina avança sem parar, e novos materiais e maneiras de operar trazem mais conforto e menos dor e recuperação mais rápida 

As cirurgias abertas, com cortes grandes no abdômen são coisas do passado. Atualmente, a videolaparoscopia corresponde a 80% das cirurgias de abdômen. 

O que é videolaparoscopia e como é realizada?

Trata-se de uma cirurgia com cortes pequenos, realizada da seguinte maneira: uma pequena câmera é penetrada no umbigo e em mais outros três ou quatro orifícios, por onde são colocadas pinças próprias para este tipo de cirurgia. 

Dessa maneira, fazemos a cirurgia sem precisar abrir a barriga, apenas soltando o intestino devagar e acompanhando tudo pela televisão onde se vê as imagens da câmera. 

Videolaparoscopia dói? 

Cirurgias de vídeo doem menos, pois são internas, e as cicatrizes, menores — por isso, de melhor e mais rápida recuperação. Mas nem sempre são cirurgias fáceis para o cirurgião. As principais dificuldades da cirurgia de vídeo são as aderências deixadas por cirurgias anteriores, pois deixam cicatrizes que grudam nos intestinos e órgãos próximos, formando uma casca difícil de desvencilhar.

Alguns pacientes possuem mais gordura fora e dentro do abdômen e, por isso, a visão dos órgãos fica dificultada, sendo que a gordura cobre os demais lugares e causa sangramento fácil. Certas vezes, a cirurgia de vídeo torna-se impossível, sendo necessária a cirurgia aberta. 

Quando a videolaparoscopia é indicada?

Além de uma cirurgia, a videolaparoscopia também é utilizada para fins diagnósticos. Nesses casos, ela é conhecida como VL diagnóstica, e pode ser útil na investigação e confirmação de:

  • Problemas abdominais;
  • Problemas de vesícula e apêndice;
  • Endometriose;
  • Gravidez ectópica;
  • E outras disfunções.

Quando é realizada para fins terapêuticos, é conhecida como VL cirúrgica, e normalmente é usada em retirada de vesícula e apêndice, laqueadura das trompas, retirada de aderências no intestino, cirurgia ginecológica, retirada de mioma, dentre outras.

Dicas da Dra Hilma

Hemorroida tratamento

As cirurgias de intestino são feitas, na maioria das vezes, por videolaparoscopia. Desenvolvemos habilidade e materiais especiais que tornam as cirurgias por vídeo muito mais seguras, rápidas e com menos dor no pós-operatório. 

Resumindo: a recuperação é mais rápida, bem como a recuperação das cicatrizes. Por isso, a alta do paciente ocorre no terceiro dia, diminuindo também o tempo de internação hospitalar. 

E aí, gostou das dicas? No Instagram do Hemorroidurgente eu posto dicas práticas e rápidas sobre a saúde do intestino e muito mais. Lá, você vai encontrar informações confiáveis a respeito de assuntos polêmicos como hemorroida e problemas anais. Siga aqui.

Compartilhe

comments
Fechar Menu
WhatsApp Hemorroidurgente
ENVIAR