Como é feito o exame de colonoscopia?

Como é feito o exame de colonoscopia?

A colonoscopia não é tão conhecida como a endoscopia, que examina o estômago. Trata-se simplesmente do exame do intestino grosso, órgão do corpo também chamado de cólon. Esse exame permite avaliar o revestimento interno do intestino grosso e do intestino delgado, incluindo o reto.

As pessoas costumam ter receio desse exame, pois acham que é doloroso e constrangedor. A verdade é que poucos sabem realmente como é feito o exame de colonoscopia e, por isso, até chegam a adiar a ida ao proctologista por desinformação ou medo.

Você vai entender como funciona a colonoscopia e como ela é importante principalmente para prevenir doenças sérias como o câncer.

Afinal, como é feito o exame de colonoscopia?

É necessária uma preparação para o exame. O médico pode solicitar a interrupção do uso de alguns medicamentos — caso você esteja utilizando — e passará uma dieta específica para os dias que antecedem a colonoscopia — baseada em suspender alimentos sólidos, alimentos de pigmentação roxa e bebidas alcoólicas. Também é prescrita uma medicação laxativa para limpar o cólon e prepará-lo para o exame.

No dia do exame, o paciente é sedado e ficará deitado de lado. O colonoscópio (haste flexível com uma câmera na extremidade e uma fonte de luz) é inserido no ânus até o cólon. Lembrando que a sedação pode ser geral ou não, e a duração de todo o processo vai de 25 a 35 minutos, geralmente. Lembrando que não dói, e a anestesia chamada “sedação” oferece conforto e segurança para um exame tranquilo.

Em quais casos ela é indicada? O que ela pode diagnosticar?

Sabemos que o câncer do intestino começa de um pólipo — acúmulo de pele revestida por mucosa, de forma similar a uma verruga —  que cresce lentamente nas paredes do intestino. Você sabia que 60% desses pólipos podem crescer e se transformar em câncer do intestino no período de 5 a 10 anos?

As pessoas de idade avançada (acima dos 45 anos) precisam realizar o exame para prevenir quaisquer desses problemas, pois estão mais propensas a apresentá-los. Além disso, a colonoscopia também é indicada para tratar a colite, acompanhar o desenvolvimento de pólipos e analisar causas de sintomas como fezes escuras e perda de peso inexplicável.

Há alguns anos, a recomendação era fazer a colonoscopia a partir de 50 anos, porém, recentemente, estudos nos Estados Unidos mostraram que jovens estão tendo câncer de intestino, e a idade recomendada passou a ser 45 anos. Além disso, as pessoas que têm parentes de primeiro grau com câncer de intestino devem fazer o exame 10 anos antes da idade do parente ter apresentado a doença.

Caso não sejam diagnosticados pólipos no seu exame, a colonoscopia pode valer por até 10 anos (verifique com seu médico)! 

Dicas da Dra Hilma

Hemorroida tratamentoA colonoscopia é extremamente importante porque evita a formação do câncer a partir do pólipo. A partir dos 45 anos, faça a colonoscopia mesmo sem sintomas aparentes, pois várias doenças como o câncer não causam sintomas no início e, quando dão sinais, pode ser tarde demais para o tratamento e a cura.

Lembrando que a colonoscopia também tem função terapêutica, como na remoção de pólipos e outros corpos estranhos.

Sabendo como é feito o exame de colonoscopia, que tal se informar mais sobre as competências do coloproctologista? Neste post contamos tudo para você! Clique aqui e saiba mais.

Autor

Dra. Hilma Nogueira da Gama
Dra. Hilma Nogueira da Gama
CRM-MG 16.386

Graduada em medicina pela UFJF (1983) e com residências em Cirurgia Geral pelo Hospital Belo Horizonte e em Coloproctologia pela Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. É membro titular e coordenadora de Coloproctologia no Hospital Madre Teresa.

Acredita que o médico tem função social de informar, interagir e se aproximar dos pacientes. Nasceu em uma família de médicos, de onde herdou seu dom para a profissão.

Compartilhe

comments

Dra. Hilma Nogueira da Gama

CRM-MG 16.386 Graduada em medicina pela UFJF (1983) e com residências em Cirurgia Geral pelo Hospital Belo Horizonte e em Coloproctologia pela Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. É membro titular e coordenadora de Coloproctologia no Hospital Madre Teresa. Acredita que o médico tem função social de informar, interagir e se aproximar dos pacientes. Nasceu em uma família de médicos, de onde herdou seu dom para a profissão.
Fechar Menu