Prisão de ventre é uma condição também conhecida como “intestino preguiçoso”, “constipação intestinal”” e “intestino preso”: ele demora dias para funcionar e, quando funciona, não satisfaz o organismo. Sendo assim, existe a dificuldade para defecar, o abdômen fica inchado, com muito gás, barulhento, desconfortável, podendo, até mesmo, surgir uma cólica dolorosa.  

A prisão de ventre não é considerada uma doença, apenas um mal funcionamento do intestino. Além disso, ela não causa doença graves como o câncer de intestino, mas costuma ser o principal sintoma de algumas delas. Vamos falar sobre isso mais à frente.

O que causa prisão de ventre?

Algumas pessoas sentem que determinados alimentos prendem o intestino, enquanto outras não veem correlação. Conclusão: um alimento que pode piorar o intestino de uma pessoa pode não ter o mesmo efeito para outra.

De qualquer maneira, a alimentação é a base da nossa saúde, principalmente (e logicamente) do intestino. Portanto, maus hábitos alimentares são a principal causa da prisão de ventre.

Dietas ricas em gordura, pimenta e açúcar, aliadas ao sedentarismo, costumam gerar essa condição irregular do órgão. Mas ainda assim as causas podem ser outras, e as principais são:

  • Intolerância a alimentos (principalmente quem contêm lactose e glúten);
  • Uso de determinados medicamentos;  
  • Gravidez (devido às alterações dos hormônios sexuais e ao aumento do útero, que diminuem o funcionamento do intestino);   
  • Amamentação (enquanto os hormônios ainda estão voltando ao normal após o parto);
  • Estresse;
  • Uso inadequado de suplementação alimentar;
  • Depressão.

Como evitar prisão de ventre e quais os tratamentos disponíveis?

Para evitar a prisão de ventre, não tem segredo:

  • Não segure a vontade de defecar;
  • Beba muito líquido;
  • Tenha cuidado com o excesso de bebidas alcoólicas, porque elas desidratam as fezes;
  • Tenha uma alimentação rica em frutas (principalmente com a casca e fibras);
  • Movimente seu corpo.

O tratamento é baseado na história, no exame do reto e, se necessário, com a colonoscopia (exame do intestino grosso). O coloproctologista analisa esses dados e chega a um diagnóstico. Pode ser solicitado, ainda, exame de alergia alimentar.

Marque consulta

Quando devo me preocupar com a prisão de ventre?

Não é normal ter prisão de ventre com frequência. A prisão de ventre pode estar associada a doenças do cólon e do reto, como diverticulite, hemorroidas, fissuras anais e câncer intestinal.

Por isso, observe seu organismo e perceba as seguintes questões:

  • Com qual frequência e intensidade ela ocorre;
  • Se está aliada a outros sintomas;
  • Se mesmo com mudanças nos hábitos alimentares e com a prática de atividades físicas ela insiste em voltar;
  • Mesmo com a alta ingestão de líquidos e alimentos ricos em fibra ela perdura;
  • Se as fezes são extremamente duras e o ato de defecar é dolorido (e em qual intensidade).

Dicas da Dra. Hilma

Hemorroida tratamento

Prisão de ventre não é doença nem causa doença, mas pode mascarar os primeiros sintomas de um câncer de intestino e de outros problemas mais graves.

Não é normal ter prisão de ventre sempre. Procure um coloproctologista quando observar alterações do intestino sem razão aparente, e nunca se automedique.

Eu separei dicas bem interessantes no meu Instagram, onde eu falo sobre assuntos polêmicos e tiro várias dúvidas dos pacientes. Siga a página e venha trocar informações importantes sobre a saúde do intestino!

Compartilhe

comments
Fechar Menu
WhatsApp Hemorroidurgente
ENVIAR