Fissura anal: como identificar e tratar

Fissura anal: como identificar e tratar

Fissura anal é a segunda doença mais comum do ânus, sendo a hemorroida a primeira. Fissura quer dizer ferida, portanto, fissura anal se trata de uma ferida no ânus que geralmente causa dor e dificuldade na evacuação.

A fissura anal é caracterizada por um pequeno corte ou rachadura no revestimento do ânus, que provoca sangramento durante os movimentos intestinais e é uma doença considerada comum, por isso, é importante desenvolver cuidados adequados para prevenção e tratamento.

A maioria dos pacientes, por receio da dor, retém as fezes, piorando ainda mais a situação, sendo que, ao serem eliminadas, se apresentam ainda mais ressecadas e volumosas, abrindo a fissura.

Entenda a seguir quais são as principais causas, os tipos de fissura anal e os tratamentos disponíveis.

Quais são os tipos de fissura anal e os tratamentos existentes?

A fissura anal costuma sangrar e, dependendo do seu grau, pode sangrar muito. Normalmente, o sangue possui aspecto vermelho vivo e costuma aparecer logo após a evacuação. Ela pode ser de dois tipos:

  • Fissura anal aguda: a ferida é recente e, se o intestino está em ótimas condições, ela melhora com pomadas e cuidados;
  • Fissura anal crônica: é uma ferida antiga, que vem e vai em crises, mas não cura por completo, deixando o ânus sensível, inchado e com uma pele exposta, parecendo uma hemorroida.

As fissuras agudas são tratadas com pomadas cicatrizantes e por meio de uma alimentação laxativa à base de frutas, verduras e líquido, para facilitar o funcionamento do intestino e, dessa forma, contribuir com a cicatrização da ferida.

A fissura crônica é uma ferida antiga, abriu e fechou várias vezes, vem assim há algum tempo, portanto, virou uma cicatriz fibrosa, dura, sem a elasticidade necessária para a evacuação, travando a abertura anal e dificultando a passagem das fezes. Nesses casos, a cirurgia é o tratamento ideal.

Em ambas as situações, evite temperos, bebidas alcoólicas e pimentas até que a região cicatrize (em média, 30 a 40 dias).

O que pode causar fissura anal? É possível prevenir?

Infelizmente existem doenças que não podem ser evitadas, e a fissura anal é uma delas. Qualquer pessoa pode ter fissura anal, e a principal causa é psicológica, pois costuma acompanhar períodos estressantes e delicados da vida, como pós-parto, perdas de entes queridos, doenças na família ou quaisquer situações emocionais que reflitam no intestino, no apetite e, consequentemente, no ânus.

Você não pode evitar, mas pode tratar adequadamente para que a cura seja rápida, portanto, consulte um coloproctologista assim que notar qualquer incômodo na região anal ou a presença de sangue após evacuar.

Dicas da Dra. Hilma

Hemorroidas na GravidezMuitos pacientes se desesperam porque recorrem a tratamentos sem orientação médica. Ao tentar alternativas como pomadas, banhos de assento e outros remédios indicados por pessoas conhecidas, passam até mesmo a achar que estão com câncer, pois nada resolve.  

Isso causa irritação, impaciência e desespero em relação ao tempo e ao dinheiro gastos no tratamento. A doença afeta a vida familiar, profissional e social. Por isso, é importante consultar um proctologista. Lembre-se: alguns casos são cirúrgicos!

Os tratamentos caseiros com banhos de assento mornos compostos por ervas como folha de algodão e trachagem ajudam na redução da dor, pois são anti inflamatórios naturais, mas não resolvem os casos crônicos. Portanto, minhas dicas são:

 

1- Trate logo no início dos sintomas (ao notar sangramento, dor no ânus ou alguma pele inchada);

2- Consulte o coloproctologista, pois somente pelo exame será possível identificar qual é a doença e o tratamento indicado;

3- Lembre: quanto mais cedo tratar, melhor será o resultado;

4- Evite conselhos;

5- Não use o que uma pessoa conhecida “usou e foi ótimo”. Cada pessoa tem um diagnóstico;

6- Não entre em pânico, conte conosco, Hemorroidurgente. E para mais informações, acesse este link!

Autor

Dra. Hilma Nogueira da Gama
Dra. Hilma Nogueira da Gama
CRM-MG 16.386 Graduada em medicina pela UFJF (1983) e com residências em Cirurgia Geral pelo Hospital Belo Horizonte e em Coloproctologia pela Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. É membro titular e coordenadora de Coloproctologia no Hospital Madre Teresa. Acredita que o médico tem função social de informar, interagir e se aproximar dos pacientes. Nasceu em uma família de médicos, de onde herdou seu dom para a profissão.

Compartilhe

comments

Dra. Hilma Nogueira da Gama

CRM-MG 16.386 Graduada em medicina pela UFJF (1983) e com residências em Cirurgia Geral pelo Hospital Belo Horizonte e em Coloproctologia pela Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. É membro titular e coordenadora de Coloproctologia no Hospital Madre Teresa. Acredita que o médico tem função social de informar, interagir e se aproximar dos pacientes. Nasceu em uma família de médicos, de onde herdou seu dom para a profissão.
Fechar Menu